Avaliação – JAC J6 Diamond 7 lugares 2012

Fotos: Marcus Lauria

Quando me foi concedida a oportunidade, em muito pensei qual seria o resultado de uma matéria vinda do veículo em questão. Após alguns dias pensativo, decidi não perder essa chance, porém, percebi  logo de cara uma questão interessante. Alguém ia levar a pior nessa história, e, claro, não seria eu. Mas, tentando lutar contra meu dom aguçado em criticar, vamos ao que interessa!

A princípio, o veredicto já estava definido. Tenho minha opinião formada com relação aos chineses que temos no mercado. Não precisamos ir muito longe para saber que a fragilidade da estrutura e do veículo em geral é um dos pontos mais criticados. Valor baixo significa baixo custo de produção, e não estou me referindo à mão de obra que a China possui, até porque a montagem final é feita em território nacional. Material de baixo custo e linha de montagem barateada deixa no ar muitas questões duvidosas.

E isso pode se confirmar logo de cara ao se acomodar no banco do motorista do modelo avaliado. Peças levemente desalinhadas, a predominância de diversos tipos de plásticos não muito agradáveis ao toque, tecidos de baixa qualidade, e tudo com um acabamento certamente duvidoso. Isso tudo, sabemos que é comum nos carros chineses. Mas o J6 provou que para toda “regra” existe uma exceção.

É impossível que não se encontre algo de positivo no interior do J6. Com um acabamento satisfatório, superfícies agradáveis ao toque, botões do painel e painel de instrumentos de fácil acesso e compreensão, além da excelente posição para o condutor, tudo ao nível da concorrência. O espaço interno é notavelmente interessante. Mesmo tendo uma estatura um pouco acima do normal, tive espaço suficiente para as grandes pernas entre o banco do motorista e o painel, e o melhor, sem encostar no teto! Logo atrás, o espaço ainda foi bem favorável para meus 1,97m, podendo me acomodar tranquilamente.

Três pessoas seguem o percurso com muita facilidade no banco traseiro, que impressiona com o fácil acesso e o bom espaço para as pernas. A versão do J6 que foi avaliada (denominada “Diamond”) possuía 7 lugares, o que implica numa dupla extra de bancos localizada no porta-malas. Com esse item extra (opcional), o espaço para bagagem é relativamente menor, mas o fato de todos os bancos poderem ser rebatidos ou removidos ajuda muito.

O espaço extra para os dois ocupantes é bem reduzido, acomodando bem somente pessoas de baixa estatura ou crianças, e o acesso aos dois acentos não é lá tão fácil assim. Retirando a dupla de bancos, pode-se confirmar que os 720 litros do porta-malas são mais que suficientes para carregar a bagagem de todos. O sistema modular dos bancos possibilita acomodar passageiros e grandes bagagens ao mesmo tempo, e ao remover todos, a capacidade de carga aumenta para 2.200 litros.

CONTINUA NA PÁGINA 2