Entrevista com piloto de Rali Edu Piano

Edu Piano_Orlei Silva

Após a conquista do título da 22ª edição do Rally dos Sertões, na categoria Caminhões, o heptacampeão Edu Piano, piloto da Ford Racing Trucks/Território Motorsport, de uma ação com os funcionários da Cummins Brasil, em Guarulhos (SP), e também visitou a linha de produção do parceiro da equipe. No evento, ele apresentou o caminhão e distribuiu autógrafos e adesivos aos funcionários, além de conhecer a linha de produção.

Com sede em Tatuí, no interior de São Paulo, a equipe Ford Racing Trucks/Território Motorsport tem parceria com: Ford Caminhões, Cummins, Garrett, Tortuga, Termicom, Truckvan, SuperCooler, Platodiesel, Fix, Território 4×4 Comercial e Casa Domingues de Pianos.

“É sempre muito gratificante ter contato com as pessoas que trabalham na linha de montagem dos produtos que equipam o caminhão. Na maioria das vezes, nunca tiveram contato com um veículo de competição e ficam extasiados em poder tocar, entrar no caminhão e, principalmente, conhecer neste caso, o motor que fez a diferença também para nossa vitória”, explica Piano, que conquistou seu sétimo título na maior competição off-road do Brasil e completou 19 participações consecutivas.

Durante a visita, o piloto ainda conheceu ISF 2.8 que está equipando os novos caminhões da Série F, da Ford Caminhões, lançados em agosto. “Foi interessante conhecer a planta e a linha de produção de motores. Espero que no ano que vem o nosso caminhão possa utilizar toda essa tecnologia do novo motor que certamente será tão confiável e até mais rápido do que usamos atualmente”, elogia. “Aproveito para agradecer a parceira da Cummins em mais um Sertões e aos funcionários e a diretoria que me receberam tão bem na sede da empresa”, finaliza Piano.

Edu Piano, o navegador Solon Mendes e do co-piloto/mecânico Carlos Sales faturaram o título de Campeões da categoria Caminhões, após liderarem de ponta a ponta a competição, que aconteceu entre os dias 23 e 30 de agosto, entre os estados de Goiás e Minas Gerais. Este foi o oitavo título consecutivo da equipe oficial da Ford Caminhões e o sétimo de Piano no Rally dos Sertões.

Para saber mais sobre a equipe e a história dos campeonatos, acessem o site www.territoriomotorsport.com.br/rally ou a página da equipe no Facebook http://migre.me/l4b7p

Perfil Edu Piano paulistano, 45 anos, piloto, preparador de carros de competição e chefe de equipe da dos times oficiais da Ford Caminhões – Ford Racing Trucks/Território Motorsport e da Troller – Troller Racing/Território Motorsport, no Rally dos Sertões. É um dos veteranos no Rally dos Sertões e um dos pilotos recordistas de títulos na categoria Caminhões (seis títulos) e, ainda, foi o primeiro piloto com origem nos jipes, a ser campeão na geral dos Carros, na competição.

1 – Como foi seu início de carreira nas competições?
Foi como hobby, pois sempre gostei de fazer trilhas. Em competições comecei fazendo provas de indoor em 1994, dois anos depois, em 1996, fui como um amigo apenas como diversão conhecer o Rally dos Sertões e, desde então, não consegui mais parar e fiz todas as edições até hoje. Paralelamente, participei de vários campeonatos e provas no Rally Cross Country como Campeonatos Paulista e Brasileiro, Mitsubishi Cup, entre outros.

2 – Qual a corrida que mais marcou sua carreira e quantos vitórias e campeonatos tem em seu currículo?
Na minha primeira vitória no Sertões, em 2005, quando fui campeão na geral dos Carros, foi muito marcante, mas cada título tem um sabor diferente. No Rally dos Sertões, que é a maior prova off-road do Brasil e o segundo maior rali do mundo (só perde para o Dakar) são sete títulos: 2005 – Campeão na Geral da categoria Carros e 2007, 2008, 2009, 2011, 2013 e 2014 na categoria Caminhões, sendo que somente em 2013 foi com um Ford Cargo 1933 4×4 e nos demais a bordo do mesmo F4000 Território 4×4. Lembrando que em todos os títulos dos Caminhões foram com meu navegador e amigo Solon Mendes. Fui tricampeão também na Mitsubishi Cup, ganhei a premiação do Capacete de Ouro como Melhor Piloto de Rali do Brasil (2005), Capacete de Prata (2002) e Capacete de Bronze (2001). Fora isto tive vitórias nas provas dos Campeonatos Brasileiro e Paulista de Rally Cross Country.

3 – Sobre a F4000 4×4 de rali, quais as principais adaptações feitas para ela enfrentar o Rally dos Sertões?
Desenvolvemos na nossa equipe Território Motorsport (na época se chamada Território 4×4) o primeiro F4000 4×4 de competição do País, em 2002. E desde então, viemos aperfeiçoando e desenvolvendo o caminhão. O F4000 Território 4×4 tem motor mais potente, suspensão desenvolvida para alta performance, sistema de tração 4×4 reforçado, retrabalho de peso, entre outros.

4 – Como foi a passagem pela F-Truck?
Foi muito interessante, tivemos um ano de aprendizado na temporada 2013. Cumprimos com o nosso objetivo que era o de desenvolver o caminhão e, principalmente me adaptar às pistas, minha melhor colocação foi em 6º lugar (entre os 25), mas nesta temporada tivemos de ficar fora do grid devido à falta de patrocínio. Mas pretendo voltar, quem sabe no próximo ano.

5 – Deixe algumas dicas para quem está pensando em entrar para competir no Rally dos Sertões.
Estou há 24 anos no off-road, mas desde que comecei a pilotar nos ralis só posso dizer que é um esporte que vicia e o Rally dos Sertões, então nem se fala são 19 participações consecutivas. Mesmo nesta 22ª edição, que tivemos muita dificuldade em captar patrocínio, dei um jeito, reduzi a equipe para seis integrantes e fomos na raça mesmo e acabamos vencendo novamente. O rali não é apenas um esporte que exige velocidade, paixão por off-road, testamos nossos limites, é um prova desafiante, onde nos superamos a cada dia , além da diversão e adrenalina! Mas para encarar um rali como Sertões, além de um bom carro, precisamos de uma equipe de apoio, infraestrutura, logística, peças de reposição e lógico, um bom navegador. Minha equipe inclusive oferece este tipo de serviço para quem quer competir no Sertões ou nos campeonatos e provas da temporada, temos carros e caminhões de competição para alugar também.