Toyota Etios XLS 1.5 Flex Aut. 2017

Por Marcelo Silva – Fotos: Marcus Lauria

Desde que foi lançado, o Etios sempre foi uma das compras mais racionais de nosso mercado, quiçá a mais racional. Não havia outro carro tão desapegado de linhas harmônicas e firulas, que tivesse ao mesmo tempo um conjunto tão bem acertado de motor, freios, câmbio, dinâmica e rendimento. Mas convenhamos que a tarefa dos vendedores da Toyota era ingrata. Era bem difícil convencer o comprador a gastar dinheiro no que ele não via, enquanto seus olhos sofriam com o cluster analógico no centro do painel, os bancos simples e o visual espartano.

Eis que o tempo passou e o Etios evoluiu. Ok, seu visual externo continua o mesmo mas, diante das evoluções no interior, aqueles faróis que parecem ter vindo direto da década de 90 ficam até bonitinhos diante dos bancos de couro com visual de carro mais caro, do volante de Corolla e, principalmente, do belo cluster digital que, embora continue no centro do painel, agora é um dos mais completos do mercado brasileiro.

Vamos começar então pelo cluster, que traz velocímetro digital de fácil visualização, conta-giros, computador de bordo com inúmeras funções (até mesmo um recurso para acompanhar o gasto de combustível em R$) e botões no volante para operar tudo isso. Já falei que o volante é de Corolla? Pois é, é uma bela peça, com ótima pegada. Os bancos em couro são confortáveis,transpiram requinte, e contam com apoio de braço central para o motorista. E, na versão XLS testada, há uma interessante central multimídia. Se não fosse a alavanca de abertura do capô que lembra um afogador, nem iria parecer um Etios.

Seu motor também evoluiu. O valente propulsor 1.5 passa a contar com variador de fase na admissão e no escape (VVT-i), e sua potência gerada é de 102/107 cv @ 5.600 rpm (G/E) e o torque é de 14,3/14,7 kgfm @ 3.100 rpm (G/E). Podem parecer números pequenos, mas a elasticidade e suavidade do motor impressionam, e o Etios anda bem, acelerando de 0-100 km/h em 10 segundos no nosso teste. E tudo isso com um câmbio automático de apenas quatro marchas, com uma terceira tão longa que lembra um CVT em algumas retomadas. O segredo para os 10 s no 0-100 é pelo fato dessa velocidade ser atingida em segunda marcha.

Mas nem só de flores vivem o Etios. Enquanto seu nível de equipamentos é bom, alguns itens foram inexplicavelmente deixados de lado. As portas por exemplo não travam automaticamente em movimento, o limpador dianteiro é filho único e, na traseira, faz falta um mísero sensor de estacionamento. Câmera de ré então, nem pensar. Em compensação, o carro traz uma direção elétrica suave, boa visibilidade pelos vidros e retrovisores, e um diâmetro de giro minúsculo, de 9,6 m, que torna o Etios um dos carros mais fáceis de manobrar que já testei.

Em movimento, na cidade, a suavidade do carro é notória, com as suspensões filtrando as ondulações de forma correta e o câmbio automático trabalhando de forma irretocável. Eu, particularmente, prefiro mais marchas em um automático, mas o Etios me surpreendeu com um câmbio de quatro marchas realmente bom. Seu isolamento acústico é razoável, ma média dos concorrentes. Seu ponto positivo é o espaço interno, aonde 5 ocupantes de proporções generosas viajam tranquilamente no carro, enquanto o porta-malas de 270 litros ainda tem alguma dignidade. E o consumo urbano? Observamos bons 8,4 km/l de Etanol, com ar ligado e trânsito pesado.

Já na estrada o carro agrada com uma dinâmica segura, bons freios e suspensão calibrada à perfeição. Fica devendo os controles de tração e estabilidade, mancada da Toyota em não oferecer. Seu desempenho é bom, com acelerações espertas e retomadas corretas. O câmbio de 4 marchas prejudica pouco o desempenho do motor, mas sem dúvidas ele deve ser bem mais arisco com o câmbio manual de 6 velocidades. E novamente tenho que elogiar os bancos, confortáveis e bem posicionados, não maltratam o corpo em percursos longos. E se você tem alguma dúvida sobre o rendimento na estrada, deixe as dúvidas de lado, pois o carro faz 12,4 km/l de Etanol a uma média de 100 km/h, com ar ligado.

No geral o Etios agrada, bem mais do que agradava antes do facelift. Ao mesmo tempo em que ficou mais atraente, ganhou também câmbio automático, e isso deu vida nova ao carro no mercado. A versão testada (XLS) custa atualmente R$ 61.350. Não é uma pechincha, especialmente quando olhamos os sinais de pobreza que continuam existindo no carro, mas ele bem que merece ser colocado na sua lista de hatches desejados.

CONFIRA NOSSO VÍDEO: