PRIMEIRA VOLTA – CAOA Chery revela o novo Tiggo2

Por Marcus Lauria (texto) – Fotos: Divulgação

A CAOA Chery estreia no mercado brasileiro com o lançamento do Tiggo 2, primeiro modelo da nova marca. O SUV chega com preço competitivo entre os seus principais concorrente e pronto para o segmento mais disputado do mercado brasileiro atualmente. O modelo traz em seu DNA o resultado de parcerias com marcas europeias na Ásia e os processos produtivos Chery, além  da parceria com a CAOA.

Entre os principais destaques do Tiggo 2 estão:  a altura do solo, que é uma das mais alta entre os SUV´s (186 mm), espaço interno amplo, conteúdo tecnológico, design, qualidade e um pacote funcional bem completo. De acordo com a marca, para se adaptar às condições brasileiras e atender às necessidades do consumidor local, o modelo passou por diversos processos de tropicalização.

Com uma ampla rede de concessionárias, a CAOA Chery pretende até dezembro, inaugurar mais 30 concessionárias nas principais praças do país. O Tiggo 2 chega ao mercado na 2ª posição no Índice CESVI (Centro de Experimentação e Segurança Viária) em sua categoria, depois de passar por testes rígidos que definem padrões de custo de reparabilidade. Isto significa que o seguro do novo modelo tem grandes chances de ser um dos mais competitivos do segmento.

Com design moderno o Tiggo 2 mostra estas características com linhas fluidas que correm pela lateral, dando a sensação contínua de movimento, um conjunto ótico moderno com a presença de Led´s e até uma assinatura com o nome do modelo na parte interna dos faróis.

Em um primeiro momento, o SUV está disponível em duas versões com transmissão manual: Look e ACT, mas está previsto ser oferecido também com transmissão automática até o final do primeiro semestre deste ano. A versão Look (R$ 59.990) conta com ar-condicionado, pacote elétrico completo, rodas de liga-leve 16″, ISOFIX, sensor de estacionamento traseiro, DRL (luz diurna de rodagem) e entre outros itens. Já a ACT (R$ 66.490), além de todas as opções oferecidas na versão Look, traz teto solar, central multimídia de 8″ – com espelhamento de celular Android e IOS -, controle de estabilidade e de tração, assistente de partida em rampa, volante multifuncional em couro, piloto automático, ar-condicionado automático e muito mais.

Com bastante espaço interno e conforto para quem dirige e para os passageiros, o Tiggo2 tem razões de sobra para esse apelo ao conforto, são 2.555 mm de entre-eixos, os 1.570 de altura e os 1.760 mm de largura. O SUV tem 4.200 mm de comprimento, com porta malas de 420 litros.

As duas versões são equipadas com motor Chery de 1.5 litros, com 4 válvulas por cilindros e comando de válvulas variável (VVT). Alimentação bicombustível e sistema de partida a frio elétrico. A potência do propulsor é de 115 CV a 6.000 rpm (com etanol) e de 110 CV a 6.000 rpm (com gasolina). Seu torque máximo é de 14,9 kgfm a 2.700  rpm (etanol) e de 13,8 kgfm a 2.700 rpm (gasolina). Em conjunto está a transmissão manual de 5 velocidades. O modelo tem três anos de garantia para o veículo completo e cinco anos para motor e câmbio.

O Tiggo 2 será ofertado em cinco cores, sendo duas sólidas (Branco e Preto) e três metálicas (Prata, Azul e Marrom). No caso da versão ACT, existe a opção de teto pintado em preto (opcional de R$ 1.500) para as cores Prata, Branco e Azul. O consumidor já encontrará o Tiggo 2 nas revendas a partir da primeira semana de Abril. Produzido na em Jacareí (SP), a expectativa de vendas é de 8.000 unidades até o final do ano.

Confira o vídeo: https://youtu.be/SDfyMGKbwwU

PRIMERIA VOLTA

Itupeva/SP – “A primeira impressão é a que fica”, essa frase é praxe para nós que avaliamos carros o tempo todo, mas nem sempre pode ser levada a sério. No caso do Chert Tiggo2 acho que pode sim, após dirigir vários SUVs nesses últimos anos, percebi que fica fácil agora distinguir o bom do ruim. E o Tiggo2 está no lado bom do segmento.

Não tenha preconceitos primários por se tratar de um carro Chinês, assim como O JAC T40, o Tiggo2 tem linhas atraentes e modernas, com desenho inspirado e criado por designers europeus. Por fora ele é bem pequeno, parece muito em tamanho com o Peugeot 2008, mas devido as linhas mais robustas, a impressão que se tem com ele em movimento é que ele é bem maior que aparenta.

Por dentro, aquele tradicional cheiro de plástico de carro Chinês, que é característico em todos os modelos vendidos no Brasil. Mas isso não é problema, logo nos acostumamos e o cheiro nem é mais percebido durante o teste. O interior é bem espaçoso, a posição de dirigir é fácil de achar e os bancos em couro, da versão ACT avaliada é de ótima qualidade e prende bem o motorista nas curvas. O volante é do tamanho ideal e tem uma excelente empunhadura. A tela no centro do painel é moderna e encaixa bem no painel, deixando o conjunto bem harmonioso.

O Tiggo2 é bem “gostoso” de dirigir, no pequeno trajeto de 20 km entre Itupeva e uma Colônia próximo a Viracopos deu para sentir bem o seu dinamismo. O motor de 1.5 litros, com 4 válvulas por cilindros e comando de válvulas variável (VVT) dá bastante fôlego ao pequeno SUV, são 115 CV a 6.000 rpm (com etanol) e de 110 CV a 6.000 rpm (com gasolina) são suficientes para empurrar sua carroceria. O câmbio manual de cinco velocidades tem engates macios e precisos, quase igual ao de um VW. No fim do testes cheguei à conclusão que o Tiggo2 é um SUV bem honesto e cumpre seu papel como deve ser. Agora é torcer para as concessionárias da marca ofereceram um ótimo pós-venda para os futuros consumidores desse carro e manter o cliente fiel a marca.

*Viagem a convite da CAOA/Chery