JAC T40 1.5 16V VVT JetFlex 2018

Fonte: Autos Giros  – Fotos: Marcus Lauria

Depois de dar um susto no complicado mercado do primeiro semestre de 2017 com boatos de que deixaria o país, a JAC Motors não apenas permaneceu como iniciou uma série de lançamentos para mostrar que ficaria, e cada vez mais. Primeiro veio o SUV compacto T5 CVT e, logo em seguida o hatch T40 manual. Ambos agradaram bastante, mostrando uma evolução da marca chinesa no país após cinco anos de atuação por aqui.

O T40, apesar de hatch, tem porte de SUV compacto. Traz um belo design, encorpado que chama a atenção e agrada por onde passa. Marcando esse novo momento da montadora no Brasil, ele foi o primeiro modelo a trocar a fina estrela de cinco pontos pelo nome “JAC” no logotipo.

O design foi desenvolvido no centro de design da marca na Itália. A dianteira é marcada por uma grande grade cromada, cortada por uma barra horizontal mais espessa – também cromada – onde fica a nova logo. Os faróis têm regulagem elétrica de altura e acendimento automático. O conjunto conta com faróis de neblina e luzes diurnas de LED.

Na lateral, as rodas são de liga leve de 16 polegadas, e os vidros contam com uma moldura cromada. O teto traz um rack esportivo (que pode ser personalizado), enquanto a traseira é levemente levantada e traz lanternas de neblina.

O motor é 1.5 VVT 16 válvulas de 127 cv e 154 Nm de torque. Ele acelera de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos e atinge velocidade máxima de 191 km/h. Ele é acompanhado por uma transmissão manual de cinco velocidades, mas o modelo ganhará uma versão automática ainda em 2018.

O interior traz volante multifuncional revestido em couro, bancos em tecido com costuras, sendo que o do motorista conta com ajuste de altura e profundidade. Ainda sobre o volante, ele traz comandos de som, telefone e piloto automático.

O habitáculo também é cheio de detalhes cromados, o que deixa o carro mais elegante. A direção é elétrica, e ele conta também com a JAC Connect Front Camera, que filma tudo o que acontece à frente do veículo, acessível por meio de um aplicativo. O painel conta com tacômetro (conta-giros), velocímetro e computador de bordo. O console traz central multimídia com tela de oito polegadas e ar condicionado analógico, tomada USB e 12 V.

Alguns detalhes interessantes são o sistema de controle de velocidade de cruzeiro mesmo com câmbio manual e o fato de o vidro traseiro contar com desembaçador e limpador próprios. O motorista conta, ao alcance da mão esquerda, com o controle do trio elétrico (vidros, travas e retrovisores).

Os bancos traseiros trazem encosto de cabeça para três ocupantes e Isofix para fixação de cadeirinhas infantis. O porta-malas é bom, com capacidade para 450 litros.

Na lista de itens de série do JAC T40 estão entrada AUX e Bluetooth, sensores crepuscular e de chuva, sistema de som com quatro alto falantes e dois tweeters, sensor de estacionamento, indicador de troca de marchas, piloto automático, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, abertura interna do tanque, monitoramento da pressão dos pneus.

O hatch com jeito de SUV traz, no quesito segurança, itens importantes como airbag duplo frontal, barras de proteção lateral nas portas, cintos de segurança com três pontos para cinco passageiros sendo que os dianteiros são equipados com pré-tensionador e têm aviso se não forem colocados. Além disso, a chave tipo canivete conta com destravamento remoto das portas e do porta-malas. Por fim, ele traz alarme antifurto, travamento automático das portas à 15 km/h e freios ABS com EBD. Como único opcional, o JAC T40 oferece pintura bicolor, com o teto em tom diferente da carroceria.

Assim como o T5 CVT, já testado pelo Autos Giros, o JAC T40 agradou bastante. Primeiro pelo design, bem mais ao gosto do consumidor brasileiro do que os carros anteriores da marca (com exceção do T5, que também já mostrara evolução). O hatch chinês, porém, vai além disso, trazendo todo um conjunto muito bom, confortável e com um preço muito competitivo. A versão completa tem preço de R$ 58.990, o que o deixa muito bem posicionado ante os seus adversários, os chamados hatches compactos esportivos.

A central multimídia é de fácil operação, sendo que o rádio traz uma grande praticidade. É possível escolher a estação “arrastando” o dedo pelo dial. Mesmo modelos mais sofisticados às vezes pecam na dificuldade de algo simples como isto.

Apesar de analógico, o ar-condicionado também é bastante bom, com rápidos aquecimento e resfriamento do interior. O conforto, além dos bancos e do bom espaço interno, também é garantido pela suspensão suave.

Outro ponto bastante positivo do JAC T40 é o consumo. Em um teste que envolveu mais de 700 quilômetros incluindo serra, litoral e cidade, a média ficou em ótimos 13 km/l, tendo alcançado 16 km/l em estradas planas, e 13,8 em 60 km de subida de serra. Na cidade, a média ficou em 9,8 km/l.

Contudo, foi nos trechos de subida de serra que o T40 manual revelou sua única fraqueza. A aceleração em altas rotações, como em ultrapassagens ou mesmo retomadas de velocidade, é lenta. E isto mesmo quando o carro era notadamente mais potente ou mais rápido que um veículo a frente.

Em abril deve chegar a versão automática CVT do modelo, o que já deve melhorar bastante este detalhe. Ainda mais que, segundo especulações, ele virá com motor 1.6, o mesmo do T5. Vale destacar ainda que a chegada apenas da versão manual do T40 em 2017 foi estratégia da própria montadora devida à limitação de importação imposta pelo Inovar-Auto, encerrado no último dia do ano.

No fim das contas, o JAC T40 manual é uma ótima opção para o dia-a-dia na cidade. Conforto, tecnologia, praticidade e um preço muito competitivo fazem dele um carro bastante interessante, principalmente no seu segmento.