Avaliação – Honda Civic LXS AT 2012

Fotos: Marcus Lauria

A Honda nos emprestou por uma semana a versão de entrada do novo Civic, o modelo avaliado era completo e com cambio automático. A nona geração do Civic, que chegou esse ano em todas as concessionárias da marca, perdeu um pouco da esportividade da geração anterior e ficou com um desenho mais conservador, além do interior renovado e mais aconchegante. Outras mudanças foram feitas no motor, agora mais econômico e na suspensão, que ficou mais macia. O novo Civic tem todas as armas que precisava para desbancar a concorrência, mas será que essas mudanças vão ajudar? É o que veremos nessa avaliação.

Com as vendas iniciadas em janeiro, o Civic 2012 ficou em 5° lugar no ranking dos sedãs médios, com 1.374 unidades vendidas, atrás de Renault Fluence (1.426), VW Jetta (2.094), Chevrolet Cruze (2.662) e Toyota Corolla (3.626), neste primeiro mês de vendas da nona geração. No mês seguinte, a mudança foi radical, o sedã japonês saiu da quinta colocação e pulou direto para a segunda posição, com 2.961 unidades vendidas, mas seu maior rival continuou em primeiro lugar com 3.677 unidades. Em março o Civic perdeu uma posição pro Chevrolet Cruze, que vendeu 3.658 unidades, contra 3.575, mas o Corolla permanece em primeiro com 4.840 modelos comercializados. Essa disputa promete muito até o final do ano, vamos ver se o Civic consegue desbancar a concorrência novamente e fincar a primeira posição no ranking de vendas.

O novo Civic, produzido na planta de Sumaré (SP) teve suas mudanças baseadas nas exigências do consumidor Brasileiro, que foram feitas através de pesquisas. Essas alterações são observadas principalmente na carroceria, estrutura e itens de série e opcionais, com alguns detalhes só encontradas em nosso país. Olhando de longe, parece que nada mudou no carro, principalmente quando visto de frente, apesar disso, o sedã foi totalmente renovado. Por exemplo, o capô ficou maior e ganhou vincos nas extremidades. Já a grade dianteira cromada foi projetada para frente e ficou mais espessa e com vincos acentuados. Já o para-choque dianteiro ficou mais robusto com a parte inferior projetada à frente e as grandes tomadas de ar do tipo colméia, que fazem conjunto com os faróis (que possui projetores do tipo canhão) ficaram mais finos e sobressalente. A versão avaliada não possuía faróis de neblina.

Quando observado de lado, o novo Civic mostra suas linhas mais sóbrias, que se estendem até a parte traseira. O modelo ganhou novos vincos, que se dividem entre a base inferior e o meio das portas. Enquanto que atrás foi tudo renovado, o carro ganhou um para-choque mais envolvente e as lanternas traseiras têm design único que invadem as laterais da carroceria, com a adoção de um extensor montado na tampa do porta-malas (típico dos carros dos anos 90), que ganhou um pequeno ressalto que imita um aerofólio. Além disso, pequenos detalhes como os vidros das portas dianteiras, que ganharam novo desenho e ficaram maiores e as portas traseiras também aumentaram, para facilitar a entrada e a saída dos ocupantes. A versão avaliada ganhou novas rodas de 16 polegadas que vem pintada na cor prata.

O Civic 2012 ficou maior e mais espaçoso, o carro agora tem 4.52 m de comprimento, ante os 4.48 metros da versão anterior. Já o entre-eixos diminuiu 3 mm. O tanque de combustível passou de 50 para 57 litros, para aumentar a autonomia, principalmente quando estiver utilizando etanol. Continuando com o assunto espaço, uma das maiores reclamações dos proprietários da oitava geração foi parcialmente resolvida, o porta-malas ficou maior, agora tem 449 litros, ficando com 109 litros a mais que a geração anterior. Além disso, o estepe diminuiu e utiliza o conceito de “pneu temporário” com dimensão bem menor: T135/80/D15, ajudando na falta de espaço. Tanto na frente, quanto atrás, todos dentro do Civic se sentem à vontade, cinco adultos cabem com folga tranquilamente.

Por dentro, tudo renovado, o carro manteve as mesmas características da versão anterior, só que um pouco mais modernas. O painel ficou mais ergonômico e fácil de visualizar, deixando tudo à mão e fácil de achar. Vários comandos estão no próprio volante e a marca manteve a divisão em dois níveis do painel. O destaque do painel continua sendo o mostrador digital na parte superior que traz velocímetro, medidor de nível de combustível e de consumo instantâneo. Logo ao lado, a novidade fica por conta do o i-MID (intelligent multi information display) e o alerta do airbag do passageiro (alerta para a presença de criança ou pessoa sentada incorretamente). No painel inferior encontram-se o tacômetro (conta-giros) analógico, o indicador da marchas (AT), entre outros. Foram incorporados neste painel os botões de ajuste do relógio e da intensidade de luz (do painel) para facilitar o manuseio.

CONTINUA NA PÁNA 2