Avaliação – Mercedes-Benz S63 AMG 2011

Fotos: Marcus Lauria

Junte a elegância de um sedan de luxo e a brutalidade de um verdadeiro superespotivo e transforme em um modelo exclusivo e desejado pelos fanáticos por carros. O modelo em questão é o Mercedes-Benz S63 AMG, que tem impressionantes 571 cv de potência e um preço de US$ 326.000 (cerca de R$ 587 000, ainda sem o IPI). Esta versão foi apresentada pela primeira vez em 2010, no mercado Europeu e está à venda no Brasil desde maio de 2011. Como curiosidade posso informar que a divisão esportiva AMG foi fundada em 1967, enquanto que o Mercedes Classe S é produzido desde 1927.

Apresentações à parte vamos ao que interessa, como é a sensação de ficar quase uma semana com um carro desses. Após uma ligação da assessora de imprensa da Mercedes-Benz, fato que me surpreendeu, fui informado que tinha disponível para eu avaliar um S63 AMG. De imediato disse que poderia avaliar sem problemas algum, no dia seguinte, no horário marcado, estava eu, impaciente, esperando a hora de pegar a chave do carro e sair da concessionária para acelerar aquele “bólido” disfarçado de sedan de luxo.

Após receber a chave e coloca-la no bolso, sentei no confortável e envolvente banco de couro preto, arrumei os espelhos pisei com o pé direito no freio e apertei com meu dedo indicador o botão start/stop, pronto, entrou em funcionamento o “borbulhante” motor V8 biturbo de 5.5 litros (5461 cm3) e 571 cv de potência e impressionanetes 91,8 kgfm. Segundo a montadora, o novo propulsor ficou mais econômico e menos poluente que o anterior, além do ronco estridente que sai das quatro saídas de escapamento. Só para conhecimento, o mesmo modelo usava um motor V8 de 6.2 litros aspirado com “apenas” 525cv e torque de 91,8 kgfm, um upgrade e tanto. A potência específica é de 104 cv/litro.

A primeira pisada com o pé direito foi de leve, até me acostumar com tanta potência e torque despejados nas rodas traseiras. Após alguns quilômetros, fui conhecendo melhor o carro e arrisquei algumas pisadas mais fortes. O torque é tão forte que o corpo é empurrado pela força dos 91,8 kgmf sem cerimônia e deixam uma sensação de felicidade no rosto, como se estivesse em uma pequena montanha russa. Fato esse que passa a se tornar um vício, pois a cada acelerada, a vontade é de não parar mais, até secar o tanque de combustível. Uma das várias curiosidades fica pelo sistema dos bancos dianteiros, que literalmente abraçam o motorista e o carona nas curvas, ao menor movimento do volante, as laterais se movimentam para dentro, segurando o corpo e deixando a sensação de segurança absoluta.

Segundo a montadora, o S63 AMG faz de 0 a 100 km/h em apenas e 4,4 segundos e alcança uma velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente, porém estima-se que esse número possa chegar facilmente aos 300 km/h, isso eu não duvido. A montadora insiste em informar que seu consumo é de 9,5 km/l no ciclo combinado europeu, mas no Brasil, devido à péssima qualidade da gasolina a realidade é outra, claro que isso não é problema para quem paga o preço por este modelo, mas em nosso teste, o sedan esportivo fez uma média de 5,0 Km/l, chegando facilmente a 4,0 Km/l, quando as acelerações foram mais fortes e um pouco para mais, quando utilizado, no modo ECO (econômico).
CONTINUA NA PÁGINA 2