Nissan Versa 1.6 16V Unique Flex 2016

IMG_7057

Por Maxmiliano Moraes – Fotos: Marcus Lauria – Fonte: www.carpointnews.com.br

Em março deste ano a imprensa conheceu o Novo Versa, versão nacional do sedã antes importado do México e segundo produto da marca montado em sua nova fábrica em Resende, RJ. A planta, aliás, já completou um ano de atividades; o New March estreou a linha de montagem ano passado. As novidades do Versa, além do visual rejuvenescido, foram a adoção do motor 1.0 3 cilindros pelo sedã, configuração inédita na linha, e o lançamento de uma nova versão de topo – Unique -, justamente a que avaliamos.

Tem gente que classifica o Versa como sedã compacto e o coloca no mesmo balaio de Voyage, HB20S, Prisma e Ka+. Nós pensamos diferente e o encaixamos numa categoria distinta, que gostamos de chamar de “sedãs médio-compactos”, da qual fazem parte o Cobalt, o Logan, o Etios e o Grand Siena. Fato é que a Nissan, com a remodelação e a naturalização do Versa, quis aproximar mais os dois mundos, razão e emoção, tornando-o um sedã bem-quisto não só pelos que compram com a planilha na mão, mas também pelos que deixam o coração decidir.

E, olha, ela conseguiu atingir o objetivo em parte. Não dá pra dizer ainda “Supimpa, que carro lindo!”, mas parte da impressão de requinte que se tem ao olhar seus irmãos maiores Sentra e Altima repete-se no contato com o Versa, especialmente quando o olhamos de frente. Os faróis deixaram de parecer gotas e ganharam contornos mais sinuosos, enquanto a grade dianteira cresceu. O para-choque dianteiro também mudou, dando às molduras dos faróis de neblina apliques cromados e recebendo entrada de ar inferior maior. O resultado deixou o conjunto frontal imponente, talvez um pouco exagerado, mas o faz parecer mais largo do que é.

Cromados, aliás, estão também nas maçanetas, na moldura das janelas e na imensa régua acima da placa traseira. Atrás o para-choque também mudou e recebeu um aplique plástico na parte inferior, enquanto as lanternas ganharam novas lentes. O conjunto é complementado por novas rodas com aro de 16 polegadas e o nome da versão em destaque nas portas dianteiras. Sim, as rodas deixaram o conjunto mais harmonioso, mas não, o desenho continua não sendo unanimidade.

Na versão Unique o interior também ganhou regalias e melhorou em certos aspectos. Os bancos revestidos em couro de série têm tecnologia Comfort Seat na frente e Isofix atrás. O volante multifuncional revestido em couro é igual ao do Sentra. O painel recebeu revestimento em black piano na seção central, esta com os controles do ar condicionado automático digital e da central multimídia – esta, sim, a feature mais bacana do sedã. Com tela touch de 5,8 polegadas e comandos por voz, o sistema traz não só o trio básico áudio + GPS + Bluetooth, mas permite ainda que você acesse as redes sociais. E tudo com comandos intuitivos e fáceis de operar.

O Nissan Versa Unique falha, porém, por manter o ar emergente que clientes de carros topo-de-linha tentam evitar. Para se ter uma ideia, a luz de teto dianteira é a mesma utilizada no Renault Logan antigo. Somente o botão do comando elétrico do vidro do motorista tem iluminação à noite e one-touch – só para descer. A cobertura do extintor de incêndio era nada mais que um pedaço de carpete (mal) grampeado. E para acessar as informações do computador de bordo é preciso desviar os olhos da estrada, enfiar a mão pela abertura superior do volante e apertar o velho botãozinho no painel.

A redenção vem quando se pisa no acelerador. Sedã esperto esse! O motor 1.6 16v não é o mais moderno nem o mais potente do segmento, mas os 111 cv e 15,1 kgfm de torque têm somente 1.088 kg para empurrar. O resultado é aceleração de 0 a 100 km/h na casa dos 11 segundos com retomadas sempre ágeis. Não pense, porém, que isso é feito às custas de alto consumo. Na média tanque-a-tanque, utilizando somente etanol, conseguimos uma média de 11,6 km/l. Ruim é só o fato de o reservatório ser tão pequeno, com 41 litros, limitando muito a autonomia.

A qualidade de rodagem também joga a favor. A suspensão tem um dos acertos mais equilibrados dentre os sedãs de seu segmento, sendo suficientemente macia para filtrar imperfeições e firme para encarar curvas sem cansar nem sacolejar ninguém. A direção elétrica permite manobras suaves e ganha progressividade na medida exata em velocidade. O câmbio mecânico de 5 marchas ficou melhor que o da versão anterior do Versa, com embreagem macia e engates precisos, ainda que longos. Os ocupantes, porém, vão reclamar do ruído interno, especialmente com o carro acima dos 100 km/h. Só uma família italiana não teria problema para conversar.

Não há, no entanto, nada que impressione mais no Novo Versa que o espaço interno; os 2,60 de entre-eixos são mais bem aproveitados que em muito carro com 2,70 ou mais. Ainda que os bancos dianteiros estejam totalmente recuados – e olha que não dá pra reclamar do espaço na frente – atrás é possível até cruzar as pernas. A largura (1,69 m) não permite acomodar tão bem 3 ocupantes, mas se quiserem ir mesmo assim as cabeças não sofrerão. O acesso ali é incrivelmente bom para um sedã de seu porte; as portas traseiras são enormes. Só no porta-malas poderia haver mais espaço a ponto de fazer jus ao que se encontra na cabine; ali só entram 460 litros de bagagem.

O preço sugerido no site de R$ 54.990,00 é atraente para o conteúdo. Na versão Unique avaliada, além do que já citamos, o comprador encontra alarme, comandos elétricos e luzes de direção embutidas para os retrovisores externos, câmera de ré, desembaçador do vidro traseiro, airbag duplo e ABS com EBD. Câmbio automático ele nunca teve no Brasil e ainda não tem, o que pode afastar compradores. Mas o custo x benefício é muito bom, especialmente quando se olha para o baixo custo de manutenção. São 3 anos de garantia sem limite de quilometragem, 2 anos do serviço 24h Nissan Way Assistance (que atende 24 horas por dia em casos de pane, colisão, furto ou pneu furado, oferecendo conserto no local ou reboque, bem como hospedagem ou carro reserva por até 4 dias a depender da necessidade e da localidade da ocorrência) e revisões com valor total de R$ 1.854,00 até os 60 mil km. O seguro para a região de Valinhos ficou em R$ 3.072,93 pela Liberty, com franquia de R$ 3.130,00 e opção de instalação de rastreador pela própria companhia, o que reduz o valor da apólice para R$ 2.782,00.

Conclusão: vale o que custa. O Nissan Versa Unique aparece como boa opção dentre os médio-compactos para clientes que buscam um pouco mais de conforto enquanto desfrutam de todo o espaço disponível. Barato para comprar e manter, ele não é perfeito mas nenhum concorrente é. Se o comprador não fizer questão de câmbio automático ele pode ser opção até para quem roda mais na cidade, graças à sua agilidade e facilidade de manobrar. Permanece fiel à proposta de ser racional, então, mas ganhou requinte.

CONTINUA NA PÁGINA 2