Avaliação – Honda Fit Twist 1.5 16V 2013

Fotos: Marcus Lauria

A moda dos “aventureiros lights” surgiu com o Fiat Palio Weekend, em 1999 e de lá para cá vem fazendo escola, a maior prova é o Honda Fit, o japonês que se rendeu ao modismo em nosso país. Com visual descolado, o Fit Twist é bom de dirigir, tem o um motor 1.5 (o mais potente oferecido pela marca na linha Fit), um interior agradável e espaço de sobra para levar muita bagagem. Avaliamos a versão “aventureira” do japonesinho que faz sucesso há muito tempo em seu segmento, mesmo com preços mais elevados que da concorrência.

A linha 2014 no Fit Twist não traz muitas novidades em relação a versão anterior. O modelo continua com o mesmo visual, que é mais moderno e ousado que as versões de série. Destacam-se os para-choques com design exclusivo com algumas partes pintadas, grade em acabamento de cromo acetinado, caixas de rodas em preto, farol com máscara negra, lanternas translúcidas e novos faróis de neblina. Com esses acessórios, o modelo ficou 3 cm mais longo, 3,5 cm mais alto e 2 cm mais largo, de açodo com a marca.

Por dentro, quase nenhuma mudança em relação ao modelo de série, foi modificado apenas o console central na versão automática, que possui detalhes na cor prata e na manual a alavanca de marchas tem detalhes esportivos. Além de alguns apliques cromados espalhados pelo painel, nos difusores de saída de ar e freio de mão. A Honda poderia usar d mesmo artifício das outras marcas que possuem seus modelos “aventureiros” e adicionar algo que o diferencie mais das versões comuns, para justificar o sobrenome twist.

O Twist é empurrado por um motor 1.5, que oferece 116 cv de potência a 6.000 rpm (etanol) e 115 cv a 6.000 rpm (gasolina), com torque de 14,8 kgfm a 4.800 rpm e controle variável de válvulas na admissão. Em conjunto do modelo avaliado estava o câmbio automático de cinco velocidades, com mudanças realizadas sem trancos, porém um pouco barulhento na hora das reduções. O propulsor rende bem nas acelerações, proporcionando um rodar agradável e confiante ao motorista. Claro que surge algum barulhinho vindo do porta-malas em ruas esburacadas, normal para o tipo de carro. A suspensão equilibrada ajuda a manter o Fit nas curvas sem sair da trajetória, que tem o auxilio dos pneus mais largos.

Na hora de manobrar, a ampla área envidraçada em conjunto com a moderna direção elétrica facilitam o trabalho para estacionar perfeitamente nas vagas, seja no shopping ou mesmo nas ruas. Os instrumentos internos de ar-condicionado e rádio são intuitivos e fáceis de usar. Essa versão peca em não ter comandos de rádio no volante.  O modelo tem preço inicial de R$ 57.990 (manual) e R$ 60.990 (automático). Ele traz de fábrica ar-condicionado,  rádio/CD/MP3/USB, banco do motorista com regulagem de altura, trio elétrico, airbag duplo, ABS e EBD.

O Fit Twist conta com três anos de garantia e está disponível em seis cores diferentes. Mas fique de olho, uma nova geração está por vir, ela foi apresentada recentemente através de fotos e poucas informações e logo deve desembarca em nosso mercado.

CONTINUA NA PÁGINA 2

Deixe uma resposta