Avaliação – Mini Clubman S 2010

Fotos: Marcus Lauria

Durante a 4ª Etapa da Stock Car realizada no Rio de Janeiro, no dia 23 de maio, o CarPoint News, à convite da assessoria de imprensa da Mini, teve a oportunidade de fazer um breve test-drive no famoso carrinho inglês, o Mini Clubman, uma versão “shooting break” do Mini Cooper S. O Clubman é uma releitura do Clubman de 1976, que assim como a versão atual, era uma versão alongada do Mini Cooper. A primeira geração do Mini Cooper fez sucesso, por ser pequeno, econômico e relativamente barato. Com o tempo, ganhou fama e virou carro cult na Inglaterra, onde foi fabricado de 1959 a 2000. Em 2001, foi relançado pela BMW, que adquiriu a marca inglesa. O Mini também é cultuado por celebridades internacionais como Mick Jagger, David Bowie, Beatles e a rainha Elizabeth II.

O Mini Clubman foi lançado no fim de 2007 na Inglaterra, já como linha 2008, enquanto que a segundo geração do Mini Cooper foi apresentada em 2001, na fábrica de Oxford, Inglaterra. O Mini mais “compridinho” mede 3,96 metros de comprimento, sendo 27 centímetros mais comprido do que o Mini Cooper original. A vantagem do tamanho alongado é que o porta-malas cresceu de 160 para 260 litros, enquanto o espaço interno para os passageiros continua o mesmo, confortável na frente a apertado atrás. O curioso é a abertura do porta-malas que tem a tampa traseira bipartida como nos antigos furgões. Na lateral direita a porta é do tipo suicida, como nos antigos DKW Vemag, que foi feita para facilitar um pouco o acesso ao banco traseiro e que só pode ser liberada com a porta dianteira aberta, evitando acidentes. A chave de ignição tem formato exclusivo, lembra um pirulito, e é usada em forma de cartucho, como nos modelos BMW. O teto do carro possui dois LEDs que, ao toque de um botão, mudam de cor, variando do verde para o azul e para o vermelho, caprichos de um carrinho exótico. “O Mini é um carro formador de opinião, feito para um público descolado, de mentes abertas, que quer demonstrar seu sucesso. Além disso, o modelo atinge várias gerações, desde jovens de 25 anos até os mais saudosistas, na faixa dos 70 anos”, afirma Jörg Henning Dornbusch, presidente da BMW no Brasil.

[nggallery id=27]

Deixe uma resposta