Avaliação – Peugeot 208 1.5 8V Allure (Flex) 2014

Fotos: Marcus Lauria

Lançado em 1999 no Brasil, importado da França e depois da Argentina, o Peugeot 206 foi o maior sucesso de vendas no Brasil e no mercado mundial, revolucionário em seu design exterior. O modelinho francês começou a se produzido por aqui em 2001 com motor 1.0 16V nas versões Selection e Soleil. Em 2009 virou um 206,5 com o nome de 207 (o 207 europeu, totalmente diferente do comercializado aqui, não chegou a ser vendido em nosso país, nem por importação), apesar de ter a mesma carroceria, a marca resolveu mudar a numeração da série e continuou vendendo o modelo com carroceria hatch, sedã e perua nas versões XR 1.4 e XS 1.6, ambos Flex. Ele é vendido até hoje em uma versão “pé-de-boi” com motor 1.4.

Como as vendas continuavam baixas, a Peugeot, enfim, resolveu fabricar por aqui o novíssimo 208, lançado em marco de deste ano, o modelo chegou todo renovado e querendo ter o mesmo impacto de lançamento do 206, a 14 anos atrás. Com essa ideia na cabeça, a marca tenta se destacar novamente em nosso mercado, mesmo com sua imagem um tanto prejudicada pelo mau atendimento das concessionárias e o descaso da marca com seus clientes em alguns casos específicos com problemas crônicos encontrados em vários modelos.

Com preço competitivo e de acordo com o segmento, o novo 208 promete se destacar no mercado, isso já é notado de imediato em nossas ruas, onde o modelo é visto com frequencia em nossas ruas. Tivemos a oportunidade de avaliar por 15 dias a versão intermediária Allure com motor 1.5 8V e as impressões foram boas. A Peugeot realmente fez um carro muito mais moderno e agradável de dirigir, além de um acabamento mais primoroso em seu interior.

Com visual moderno e marcante suas linhas chamam a atenção pelas ruas, os faróis afilados com formato irregular e a enorme grade dianteira são o destaque na dianteira. Visto de lateral o modelo mostra simplicidade, com vincos nas portas e para-lamas, além da tradicional cintura alta. Na traseira as lanternas têm formato de “garras de leão” e o para-choque em forma de “V”, harmonizando com o restante da carroceria deixam o desenho ainda mais atraente aos olhares dos pedestres.

A melhora nos materiais usados no interior é percebida logo ao entrar no carro, o que o torna mais agradável no uso diário. Por dentro, o mesmo capricho, a marca não poupou esforços para deixar seu interior ainda mais agradável. Totalmente reformulado, a parte interna ganhou um novo volante, agora menor e mais fácil de utilizar em manobras. O painel de instrumentos também ficou mais moderno, mais fácil de visualizar, sua posição ficou acima do volante e não mais por dentro do aro, facilitando a leitura.

A versão avaliada estava equipada com um motor 1.5 8V (o mesmo usado no Citroën C3), o propulsor, que nada mais é do que a evolução do antigo 1.4 8V, recebeu novo curso dos pistões e teve sua taxa de compressão aumentada, deixando o carrinho bem experto nas retomadas e ultrapassagens. Essas melhorias no motor deixaram o propulsor mais potente, gerando 93 cv e 14,3 kgfm (com etanol) e 89 cv com gasolina. Em conjunto está o câmbio de cinco velocidades, com trocas macias e precisas. De acordo com a marca, ele faz de 0 a 100 km/h em 10,9 segundos e alcança uma velocidade máxima de 181 km/h.

O Peugeot 208 1.5 8V Allure (Flex) 2014 do teste parte de R$ 45.990 e chega para competir diretamente com outros compactos premium do segmento, como Hyundai HB20, Chevrolet Sonic, Ford New Fiesta e o Citroën C3. Bem equipado, a versão avaliada oferece como itens de série GPS e tela de sete polegadas sensível ao toque, trio elétrico, central multimídia com rádio, luzes diurnas de led, teto de vidro panorâmico, computador de bordo, luzes diurnas com lâmpada e rodas de liga leve de 15 polegadas. Seu consumo médio em perímetro urbano foi de 7,5 Km/l extraídos do computador de bordo e de 12,5 Km/l na estrada, sempre com gasolina.

CONTINUA NA PÁGINA 2

Deixe uma resposta