Avaliação – Renault Logan Dynamique 1.6 8V Hi-Torque 2014

Fotos: Marcus Lauria

Lançado oficialmente no Brasil como linha 2014 no ano passado, a segunda geração do Logan chega para mudar toda a concepção de que carro feio tem que ser barato e já adota a nova identidade mundial da marca. Totalmente reformulado, tanto na parte externa quanto interna, o novo sedan compacto da marca promete mexer com a concorrência. Além do novo visual, o novo Logan traz muitas novidades em relação a itens de série e equipamentos.

Nossa, mudou da água pro vinho”, afirmou o vizinho que passava na rua quando estava estacionando o carro. É verdade, ele tem toda a razão, o novo Logan está muito mais bonito e com linhas mais modernas. Visto de frente, o sedan ganhou formas arredondadas, com para-choque mais encorpado e envolvente, deixando a aparência mais robusta. Além dos faróis que ganharam novo formato com duplos refletores e luzes indicativas de direção. A grade ficou menor e recebeu um friso cromado em destaque e o símbolo da marca ficou mais destacado.

Na versão avaliada, Dynamique, a parte inferior da grade dianteira tem agora uma moldura cromada, envolvendo os faróis de neblina, transmitindo mais requinte ao sedan. O formato do capô segue o desenho do carro e agora recebeu dois frisos que descem em direção a cada um dos faróis. Deixando o desenho mais harmônico e agressivo comparado a geração anterior.

De lado, o modelo exibe linhas limpas e sóbrias, sem grandes destaques, seguindo a nova tendência mundial. Já na parte traseira destacam-se as lanternas com elementos geométricos que avançam sobre as laterais da carroceria. Está lá também o logotipo da Renault no centro da tampa do porta-malas e logo abaixo dele está inscrito o nome do carro em letras cromadas.

De acordo com a Renault, o novo Logan tem o mesmo espaço interno da versão anterior, que são das as seguintes medidas: 2,63m de distância entre-eixos, 4,35 m de comprimento, 1,73 m de largura e 1,52 m de altura. Porém, na prática não foi essa a sensação que tive, o modelo continua espaçoso como sempre, mas não igual a geração passada como afirmaram. Mas mesmo assim, o espaço é suficiente para carregar cinco pessoas sem aperto. Na versão avaliada, o modelo traz retrovisores com luzes indicadoras de direção. O porta-malas e a tampa do tanque do combustível, podem ser abertos internamente. O porta-malas tem 510 litros.

Diferenças pequenas a parte, o interior foi totalmente renovada. Ele é composto por novos materiais, cores e texturas. O ambiente interno ficou mais “limpo” e agradável de se ver e tocar. Ele é composto por um volante, de três raios com empunhadura anatômica, na versão avaliada ele vem ainda com os comandos do piloto automático e do limitador de velocidade.

O motorista conta com bancos com ajustes de altura do assento e da coluna de direção. A versão Dynamique oferece opcionalmente ar-condicionado automático, item inédito no segmento, com um seletor da temperatura Todas as versões saem de fábrica com pneus 185/65 de 15 polegadas.

Observando melhor, é possível notar o novo quadro de instrumentos, agora com iluminação na cor branca. Ele recebeu três mostradores redondos: conta-giros e velocímetro analógicos e um mostrador digital, com indicador do nível de combustível, temperatura do líquido de arrefecimento e computador de bordo multifunções, que disponibiliza informações como dados relativos ao consumo médio e instantâneo, à autonomia, à quantidade de combustível consumida, à velocidade média e à quilometragem total e parcial. O modelo ainda possui um indicador de troca de marcha, visando a economia de combustível.

Recheado de porta-objetos, um total de 11, o Logan não deixa ninguém na mão. O modelo ainda ganhou encosto rebatível do banco traseiro. Na versão Dynamique, o banco é rebatível bipartido (1/3 e 2/3) e na versão Expression é 1/1.

A versão avaliada vinha com o novo sistema Media NAV 1.2, uma evolução do sistema lançado em 2012 que tem tela touchscreen de 7” integrada ao painel com as funções GPS, Bluetooth e rádio, que agora ganha duas novas funções: Eco-Scoring (avalia a condução do motorista ao final de um percurso) e Eco-Coaching (dá uma série de dicas para o condutor dirigir de modo mais econômico e ecológico), além da visualização da temperatura externa. Muito mais prático e útil.

O sistema oferece conexão Bluetooth com visualização pelo display.  O Media NAV 1.2 vem com GPS completo, com fácil programação de destinos e vasta lista de pontos de interesse. Ele tem entradas auxiliares (uma do tipo jacke outra para conexão USB/iPod) e pode funcionar em conjunto como comando satélite na coluna de direção.

O Logan sai com todos os sistemas de segurança obrigatórios a partir deste ano nos carros fabricados no Brasil, ele traz airbag para motorista e passageiro em todas as versões, sistema ABS, com distribuidor eletrônico de força de frenagem (EBD). Além do sistema CAR, que trava automaticamente as portas do veículo quando este alcança 6 km/h.

A versão Dynamique, avaliada pelo site por uma semana, parte de R$ 42.100 e vem bem equipada. O modelo chega com: bancos com tecnologia CCT, rodas 15’’ em liga leve, faróis de neblina, vidros elétricos traseiros, piloto automático, limitador de velocidade, luzes indicadoras de direção nos retrovisores, comando elétrico dos retrovisores, banco rebatível 1/3 e 2/3 e volante revestido em couro. Principais opcionais: Media NAV 1.2, sensor de temperatura externa, ar-condicionado automático e sensor de estacionamento.

Sob o capô, está o motor 1.6 8V Hi-Power, adotado na linha em agosto de 2012. Ele rende 106 cv quando abastecido com etanol e 98 cv com gasolina. Com um torque de 15,5 kgfm com etanol e 14,5 kgfm com gasolina. Apesar de ser potente, na prática ele escorregou feio, as acelerações são lentas, e com o carro cheio fica difícil enfrentar ladeiras ou tentar ultrapassagens mais ousadas na estrada, o melhor é andar sempre no seu limite para não vacilar. Em conjunto está o câmbio manual de cinco velocidade, que tem engates precisos, mas não muito macios. A suspensão é firme e deixa o motorista bem a vontade para arriscar em curvas mais fechadas, sempre no limite de velocidade. Seu consumo médio, mesclando cidade e estrada foi de 9,5 Kml com gasolina.

CONTINUA NA PÁGINA 2

Deixe uma resposta