Chevrolet Camaro 6.2 SS Conversível 2015

IMG_0906

Por Marcus Lauria (texto e fotos)

“Quer aparecer, então coloque uma melancia no pescoço”, essa é a frase mais usada quando queremos dizer que aquela pessoa está afim de aparecer mais que os outros. Com esse ditado popular que começo a minha matéria sobre os dois dias que passei com o novo Chevrolet Camaro SS conversível. O musclecar esportivo da marca norte-americana chama mais atenção nas ruas do que qualquer pessoa que ande com a famosa e enorme fruta em seu pescoço, pode acreditar.

Parado ou andando, o Camaro SS conversível é o rei das atenções por onde rodei com ele. Assim que fui buscar o carro na concessionária para iniciar o teste, já percebi o seu porte musculoso e as linhas esportivas. A mistura de linhas retas com contornos sutis da carroceria dão um belo resultado do design do Camaro. A vantagem vem da opção de poder ficar sem a capota. No traje conversível, o esportivo se torna o ainda mais chamativo aos olhos de quem o vê.

Desculpe a redundância em falar que ele chama muita a atenção, mais fica impossível não comentar sobre tantos predicados do Camaro SS conversível. Enfim, agora vamos ao que interessa, vou falar agora do convívio com o carro, como ele anda, como é seu espaço interno, acabamento etc.

Por R$ 17.804 a mais você leva para casa a versão conversível do Camaro SS, que sai a exatos R$ 245.550. Por esse valor, existem outras opções no mercado de importados, mais acredito que a sensação de estar a bordo de um modelo como esse, seja única.

São apenas 20 segundos, após o torque de um botão. Os vidros abaixam e a capota de lona se dobra em um padrão “Z”, ficando totalmente aberta. De acordo com a GM, o desenvolvimento da capota elétrica, foi feito em parceria com o fabricante da capota do Corvette. Para esconder os mecanismos da capota, a marca disponibiliza uma capa, que fica guardada no porta-malas. Por motivos de segurança, há uma trava de acionamento manual e a operação exige que o veículo esteja parado, com a alavanca da transmissão na posição “P” (Parking).

A capota Twillfast, é revestida em espuma acústica e equipada com vidro traseiro térmico, que, além mais durável, mantém o nível de ruído e as dimensões internas próximas ao do cupê. Para a instalação da capota removível, o esportivo teve que receber um reforço na estrutura na parte dianteira e traseira. Desta forma, o modelo ficou mais rígido e ganhou maior equilíbrio dinâmico em curvas e retas. Além disso, há as assistências do duplo controle de tração e de estabilidade.

Por fora, o Camaro SS conversível, sofreu as mesmas mudanças estéticas promovidas no modelo cupê em 2014. A dianteira ficou mais imponente, com linhas mais afiladas e as novas lanternas traseiras. O conjunto é completado pelas enormes rodas polidas de 20 polegadas e pneus mais largos na traseira. A nova versão se diferencia pela antena “tubarão” sobre a tampa do porta-malas. O Camaro conversível está disponível em quatro opções de cores: Preto Global, Branco Summit, Amarelo Lemon Peel, Cinza Ashen.

Por dentro, o ar retrô está em todos os cantos. Os mostradores do painel e do console apresentam um visual esportivo e que lembra os antigos Camaros, com instrumentos quadrados. E ao mesmo tempo um toque moderno foi inserido, como a projeção de informações no para-brisa, o Heads-Up Display (HUD). Nele são mostrados dados como a rotação do motor, o ponto ideal de troca de marcha, a velocidade e a aceleração lateral. O condutor ainda pode configurar o sistema para receber as instruções do sistema de navegação e da mídia que está sendo tocada. Com um porta-malas pequeno, de apenas 320 litros, o Camaro não precisa de muito espaço de carga. Quem tem um carro desse, geralmente tem outro para viajar ou mesmo ir ao mercado ou shopping.

Com a posição de dirigir bem próxima ao solo, típico dos esportivos de verdade, o Camaro SS conversível também oferece bancos dianteiros inspirados nos modelos de competição, porém com confortáveis suportes até nas laterais, revestimento em couro, ajustes elétricos e sistema de aquecimento. A posição de dirigir é fácil de achar, e apesar de ficar em um posição abaixo do comum e do modelo ser bem largo, é fácil dirigir e manobrar. Que nesse caso em especial o esportivo vem equipado com câmera de ré, que é acionada automaticamente ao se engatar a marcha.

Além do visual, pra lá de interessante, o Camaro conversível oferece muita diversão para quem dirige também. Embaixo do capô está escondido um motor Small Block V8 de 6.2 litros, que rende mais que suficientes 406 cavalos de potência a 56,7 kgfm de torque. Com muita tecnologia, esse propulsor conta, por exemplo, com comado de válvulas continuamente variável e sistema de desligamento dos cilindros AFM (Active Fuel Management). Esse sistema de gerenciamento do motor pode desligar parte dos cilindros, para reduzir o consumo de combustível, que não é pouco. No pouco que rodei com ele, fiz uma média de 5,4 Km/l com gasolina.

Mais divertido mesmo é acelerar o muscle car. A tração traseira deixa tudo mais divertido. O câmbio sequencial/automático de seis velocidades GR6 não dá trancos e faz reduções na medida certa. Em certos momentos, nem parece que estou a bordo de um verdadeiro esportivo. Para quem curte dominar mais o carro, existe a opção de trocas manuais, por meio de borboletas atrás do volante “Paddle Shift”. As curvas são feitas com louvor, o Camaro parece andar em trilhos. A suspensão é bem equilibrada e deixa o esportivo o tempo todo na mão. Na hora de frear, os quatro discos ventilados dão conta do recado e seguram bem os 1790 Kg do carro.

Agora existe um porém nisso tudo, o modelo vai receber um novo face-lift nos Estados Unidos, desta vez mais profundo. Apesar da produção da linha 2015 continuar por lá, mais em ritmo reduzido, até a troca definitiva pela linha 2016, cuja chegada às lojas nos Estados Unidos está prevista a partir de outubro. No Brasil, ainda não há previsão da chegada da novidade, provavelmente no início do próximo ano. É aguardar para ver.

CONTINUA NA PÁGINA 2

Deixe uma resposta